sexta-feira, 17 de abril de 2015

Quando tudo voltará a ser sobre nós dois?

     Todo mundo sempre fala sobre qual é o momento em que o ser humano se apaixona, qual é o "clique" que nos faz olhar para aquela pessoa especial com outros olhos? Será que isso pode acontecer à primeira vista ou você precisa conhecer muito a dita paixão para sentir algo por ela?
      Sinceramente, esse não é um questionamento que me importe. Saber quando você passou a se interessar por alguém é totalmente irrelevante se pensarmos em quando sabemos que amamos alguém. Como isso acontece? Em que momento de nossa vida percebemos que aquela pessoa que ocupa nossa mente é mais do que uma paixonite aguda? Quando conseguimos enxergar que quem lhe faz extremamente feliz, ou extremamente brava, se tornou parte essencial de nossas histórias?
      Acho que quando se trata de nós dois foram as nossas "brigas" que me fizeram ver quanto você era especial. A cada indireta agressiva, a cada passo que dávamos um para longe do outro, eu percebia que você era muito mais do que um amigo. Porém, eu me recusei a aceitar esse sentimento e o enterrei com xingamentos e um grande ódio, que não faço ideia de onde veio.
      Entretanto, agora, depois de tantas idas e vindas nossas, sinto que não posso te perder mais uma vez. O nosso último afastamento foi doloroso demais e eu não suporto a ideia de passar por tudo aquilo de novo. Preciso que voltemos para aqueles dois fofos que fomos um dia, mas não faço a menor a ideia de como.
      Essa temporada da série da minha vida parece estar me mostrando todos os caminhos que minha personagem pode seguir. Vejo novas amizades aparecendo, novos amores querendo se destacar, novas partes da minha personalidade aflorando. Mas a verdade é que eu só quero você. Eu não quero uma mudança de enredo. Não quero acabar com o casal principal.
      Nós dois somos o casal principal dessa história, todo o resto são apenas as outras pontas dessas formas geométricas amorosas. Você é o meu Príncipe, não importa como Vilão você se vê, e eu sou a sua Mocinha. Não somos um casal perfeito, temos sérias divergências, mas, no fundo, nossos caminhos sempre voltam a se encontrar.
      Quando você perceberá que não podemos mais perder tempo? Quando você vai se dar conta que, no fim, tudo é sobre nós dois encontrando o nosso caminho juntos?

Até a próxima,
Beatriz.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Oi, pessoal!

       Nem vou me prolongar muito na minha explicação de porque sumi: estou em ano de vestibular e é uma correria que não dá para controlar. Como praticamente hoje acabou o meu primeiro bimestre, resolvi vir aqui e aparecer para falar um pouco sobre minha vida!
        As metas de leitura de fevereiro foram um fracasso total, gente. Nem encostei naqueles livros, então melhor não comentar. Mas, para compensar, li essa semana dois livros (Lucíola e Poemas Escolhidos de Gregório de Matos) sobre os quais irei comentar no post de maio do Estante do Mês.
         Já programei um post fofo para amanhã (mas nada compete com esse panda lindinho da foto), porém não vou deixar hoje sem dizer nada sobre minha vida. Então, vamos às minhas reflexões do mês de março/abril.
         Acredito que vocês não saibam disso, mas sou grande fã da One Direction (até fui ao show deles no Rio de Janeiro ano passado) e, como foi amplamente divulgado na imprensa nas últimas semanas, o Zayn saiu da banda. Não vou dizer que fiquei realmente triste com a saída, mas ainda não me acostumei com a ideia de que, a partir do próximo álbum, nenhum das músicas vai ter aquela voz aguda do Zayn, que sempre foi minha preferida!
         Além disso, outra coisa de qual sou fã sofreu uma grande perda: The Vampire Diaries, a partir da sétima temporada, não contará mais com Nina Dobrev no elenco. Não entendo como a série vai seguir sem a Elena (a protagonista mais chata do mundo, mas que ninguém suporta perder), mas ainda tenho esperanças que eles vão dar um final digno para Delena (meu segundo casal favorito da televisão).
        Sei que essa minha volta não foi cheia de coisas interessantes para vocês, mas, como esse blog é meu cantinho de desabafo, estava morrendo de saudades de contar como estou! Espero conseguir voltar mais vezes (amanhã estarei aqui de novo, não esqueçam!).
Até a próxima,
Beatriz.