domingo, 27 de dezembro de 2015

Foi a última vez?

     Imagino o som de sua voz e sinto como se não estivesse sendo fiel ao que realmente saía de sua boca. Relembro-me de seus olhos suaves e parece que eles não são tão brilhantes quanto pessoalmente. O toque de suas mãos está na minha cintura, mas é apenas mais uma ilusão cruel de minha memória.
      Dói profundamente, e de uma forma que nunca imaginei, pensar que talvez tenham se passado os nossos últimos momentos juntos. Como uma faca despedaçando cuidadosamente meu coração, vejo seu rosto tão perto do meu, mas nossos lábios nunca próximos o suficiente.
      Como os meses, e anos, de nossa história se passaram tão rápidos? Como eu não percebi desde aquele primeiro instante que você não era apenas um personagem no meu enredo, mas o protagonista? Como eu te deixei ser apenas um coadjuvante de tantas histórias de amor quando só você estava no meu coração?
      Não consigo ainda aceitar que agora já não há mais uma data certa de quando nos veremos novamente. Sempre ouvi dizer que acabar a escola trazia momentos nostálgicos e grandes saudades, mas te deixar para trás é mais do que posso suportar. Apesar de todas as minhas raivas, de todos os seus ciúmes, de todos os nossos erros, há anos eu não consigo mais imaginar uma vida sem você.
       Uma vez, li uma linda declaração de amor de uma menina que dizia para o seu amado: "Não importa o que seja, eu só quero ser algo grande na sua vida - uma grande amiga, uma grande namorada...". E sinceramente, eu a entendo completamente. De sua vida, eu só quero participar até o meu último suspiro. É claro que espero ser seu grande amor como você é o meu, mas é muito mais insuportável a ideia de não ser mais nada diante de seus olhos.
       Quero ter forças para não te deixar partir, quero ter forças para dizer tudo o que escondi nesses anos. Quero que eu te diga as três palavras mais desperdiçadas do mundo e você as me retribua com todo o amor que é capaz de sentir. Quero o seu tudo, seu bem, sua paz, seu sorriso, sua alma.
       Não nos despedimos no nosso último capítulo do livro "Escola" da minha vida, então, talvez isso signifique que você não é alguém que simplesmente ficará nos meus anos juvenis. Talvez Deus estivesse me dando um spoiler esperançoso, talvez algo de bom só estivesse me dizendo: ele vai voltar. E eu não poderia estar mais desesperada pela sua volta.

Beijinhos, Beatriz.