domingo, 31 de janeiro de 2016

Meu Aeroporto Literário - Janeiro


      Hoje começa aqui no blog um novo quadro: o Meu Aeroporto Literário. Já que sempre dizemos que os livros nos fazem viajar sem precisarmos sair de nosso lugar, resolvi levar essa ideia um pouco mais além. Portanto, nesse novo quadro mensal, irei comparar a movimentação de minha estante com as idas e vindas de um aeroporto! Então, peguem suas passagens e embarquem nas minhas viagens de janeiro.

1- Balcão de Check-in (Livros que comprei)
     *Felizes para Sempre - Kiera Cass
     *Os Crimes ABC - Agatha Christie
     *Diário da Princesa: O Casamento da Princesa - Meg Cabot
   
     Em janeiro, meu aeroporto recebeu apenas três novos livros. Como minha estante em 2015, só serviu para acumular mais e mais leituras atrasadas, resolvi comprar menos nesse mês e ler alguns dos títulos que estavam na pilha.

2- Portão de Desembarque (Livros lidos)
     *A Herdeira - Kiera Cass
     *Felizes para Sempre - Kiera Cass
     *Círculo Secreto: O poder - L.J. Smith
     *Diário da Princesa: O Casamento da Princesa - Meg Cabot
     *Os Crimes ABC - Agatha Christie
     *Os Instrumentos Mortais: Cidade de Vidro - Cassandra Clare
   
     Nesse primeiro mês de 2016, li seis livros, quase alcançando as minhas leituras de 2015 inteiro (foram sete, como comentei nos posts anteriores) e fiquei extremamente orgulhosa de ter conseguido alcançar um número tão expressivo, ainda mais após três anos de poucas leituras. Não li dois livros por semana, como coloquei de meta anual, mas cheguei bem perto. Gostei também de ter lido três livros que eu já tinha, ao invés de só comprar novos!

3- Voos cancelados (Livros que abandonei)
     *Não se apega, não - Isabela Freitas

     Em janeiro, "Não se apega, não" foi o único livro que desisti de ler. Eu comprei esse livro em 2015 e estava curiosa para ler esse best-seller nacional, mas simplesmente não consegui me conectar com as histórias. Gostei da escrita da Isabela Freitas, porém, algo faltou para que eu quisesse continuar a leitura.

4- Fila de Embarque (Livros que continuam na estante)
    *A Letra Escarlate - Nathaniel Hawthorne
    *Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Anjos Caídos - Cassandra Clare
    *Morte Súbita - J.K. Rowling
    *Gabriela, Cravo e Canela - Jorge Amado
    *Fogo Morto - José Lins do Rego
    *Claro Enigma - Carlos Drummond de Andrade

    Os quatro primeiros livros foram adquiridos em janeiro e dezembro de 2012, ou seja, estão há muito tempo nessa fila de embarque! Já "Fogo Morto" e "Claro Enigma" foram comprados no ano passado para serem lidos para o vestibular da federal, mas não consegui lê-los a tempo. Em fevereiro, pretendo ler, pelo menos, "A Letra Escarlate" e "Gabriela, Cravo e Canela".

Beijinhos, Bia.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Estantes de todos os tipos!

       Tenho um sonho que, provavelmente, todos vocês já tiveram: ter uma estante de livros tão lindas quanto as de blogueiros literários em seus vídeos no Youtube. Estava assistindo alguns vídeos ontem sobre como organizar uma estante e manter os livros limpinhos e fiquei ainda mais animada para o dia que eu tiver a minha! Pela estante do meu Skoob (conheça a minha estante e me adicione), tenho 218 livros (tecnicamente está escrito 217, mas é que eu pulei algum dos livros lidos na hora de passar para a parte "Tenho"), então, já tenho uma coleção considerável e espero um dia deixá-la bem linda à mostra. Por enquanto, vou me contentar em mostrar vários tipos de estantes incríveis que encontrei na internet!



Essas duas primeiras estantes criam o que eu adoro chamar de "cantinho da leitura". Reparem como a mesinha fica perto dos livros, o que geraria um lugar ótimo para escrever e ler!


Essa estante possui o charme de ter as prateleiras organizadas de forma móvel, ou seja, consegue armazenar muitos mais livros do que aparenta à primeira vista!


Essa é o exemplo do que um dia sonho em ter! Organizada, simples e colorida pelas capas dos livros. É quase um closet de livros!

Esse é o tipo mais prático, pois possui uma porta de vidro que impede a entrada de sujeira e insetos nos livros.

Qual dessas estantes é a sua preferida?
Beijinhos, Bia.

sábado, 23 de janeiro de 2016

Livros para ler e metas para vencer...


        Finalmente, depois de uma "pausa" desde o fim de 2012, consegui começar o ano lendo em disparada. 2016 já começou me trazendo sequências de séries que eu adoro (como "A Seleção") e eu estou ansiosa para continuar embarcando em tantas boas histórias.
        Por causa disso, resolvi trazer para vocês a minha meta de leitura para 2016. Como passei na Federal no curso de Letras, terei que ler bastante para o curso, mas não quero seguir apenas o que for obrigatório. Vai ser o meu momento de me aprofundar ao máximo no mundo da Literatura e eu não quero perder isso por nada nesse mundo.
        Como no meu primeiro período, a única matéria dirigida especificamente para essa área é a de Literatura Épica, vou aproveitar para adiantar as minhas leituras até agosto, mas meu objetivo principal é manter um ritmo constante durante todo o curso. Por isso, estabeleci uma meta pessoal de dois livros por semana.
       Até o momento, já se passaram três semanas de janeiro e eu só li quatro livros, ou seja, ainda estou um pouco enferrujada, mas não vou perder as esperanças tão cedo! Além do mais, já li mais da metade da quantidade de livros de 2015 (foram apenas 7 leituras, ano passado).
       Fora essa meta literária, também tenho outras duas para cumprir esse ano. A segunda consiste em dedicar, pelo menos, um dia da minha semana a minha escrita. Pretendo disponibilizar alguns dos meus trabalhos aqui para vocês, em formato de e-book ou talvez eu volte a fazer minhas novelas também! 2016 vai trazer várias novidades aqui para o meu cantinho.
       A terceira e última meta consiste em me dedicar mais ao blog através de, no mínimo, três posts semanais. Esse "Diário" é o meu porta-voz para todos vocês, para o resto do mundo, e eu não posso continuar a relegá-lo a um décimo plano. Sei que já comecei o ano descumprindo essa meta, mas pretendo me ajustar até o início das minhas aulas!
       Estou muito ansiosa para começar uma nova jornada com a companhia de vocês e espero que gostem de percorrê-la comigo!
Beijinhos, Beatriz.
     

sábado, 2 de janeiro de 2016

O que vou fazer com você, 2016?

       Pela primeira vez nos meus quase 18 anos, tive uma sensação diferente ao ver os fogos celebrando o início de um novo ano. Sempre possuí aquela esperança clichê de que uma mudança de número no meu calendário poderia trazer as soluções para todos os meus problemas. Porém, depois de um surpreendente 2015, percebi que não há milagres caindo do céu junto com a pólvora.
       À 00h00, uma profunda animação para viver atingiu meu coração. Após anos na escola, enfrentarei meu primeiro ano na faculdade, meu primeiro ano sem ter as mesmas metas que todos os meus amigos, meu primeiro ano podendo ser realmente quem eu sou.
      Sempre achei a liberdade bastante assustadora e, agora, encarando-a de forma tão próxima, sei que eu estava certa. O que você fazer quando você pode fazer tudo? Quem você quer escolher quando não há mais fofocas no corredor para comentar sua escolha? O que escrever quando há todo o tempo do mundo para isso?
      Eu, até o final de 2014, deixei muito a minha vida me levar para onde quisesse. Não tinha tomado decisões nem mudado as coisas que me desagradavam. Entretanto, em 2015, comecei a escrever o futuro que eu queria. Fiz amizades incríveis com pessoas que nunca imaginei que conheceria, desapaguei-me de velhos hábitos e pessoas que me desagradavam imensamente e trilhei os primeiros passos da minha jornada.
      Em 2016, sinto que meu verdadeiro objetivo é viver. Quero lutar pelo que eu quero, mesmo se os obstáculos forem quase intransponíveis, Quero me apaixonar intensamente e viver o máximo dessa relação. Quero escrever sobre tudo e sobre nada, sobre meus sonhos e meus pesadelos, sobre minha alma e meus próprios demônios.
      Acho que, em 2016, o meu segredo vai ser viver como se cada dia fosse o último. Meu medo sempre foi de as coisas acabarem e eu me arrepender de não ter as aproveitado. Eu não quero que os anos passem e, de repente, já seja tarde demais. Nossa história foi feita para escrevermos e estou decidida a não desperdiçar nem mais uma linha.

Beijinhos, Bia.