sábado, 28 de maio de 2016

#VidadeEstudante: Primeiras provas, primeiras impressões

     Esse post era para ter sido escrito na primeira semana de maio, quando eu já tinha feito todas as primeiras provas (com exceção de Inglês), mas não tinha recebido nenhuma nota. Como eu deixei o tempo passar, já recebi todas as notas dessas avaliações, então o "post original" teve que receber algumas mudanças...
      Mas vamos ao que interessa: como caloura na universidade, é óbvio que meu maior medo era ir mal logo de cara nas provas. Sempre fui muito estudiosa durante toda a minha vida escolar, então temia que o primeiro semestre na universidade fosse um desastre. Felizmente, eu estava errada!
      Em relação a provas escritas, eu fiz 4 e uma resenha para Língua Portuguesa I. A minha primeira prova foi de Teoria da Literatura I sobre "O que é literatura?". Trabalhamos com diversos autores no início do semestre (L.A. Fischer, Antonio Candido e Terry Eagleton), o que fez a aula ser mais dinâmica mesmo com o conteúdo essencialmente teórico. Eu estava com medo da última questão da prova, que valia 4 pontos, e consistia numa interpretação do conto "O Timoneiro", de Franz Kafka. Por causa do tempo, essa questão foi deixada por os últimos 15 min. Entretanto, o resultado geral foi ótimo e consegui 8,75 na prova!
      A segunda prova foi de Língua Portuguesa I. Durante a primeira parte desse período, só trabalhamos com os conceitos gerais, básicos e teóricos de Linguística. Sempre gostei das aulas e entendi facilmente os conteúdos, então já esperava um bom desempenho. Passei alguns dias remoendo com medo se tinha usado algum exemplo errado nas minhas explicações, mas estava tudo escrito certinho! O resultado dessa prova foi 9,5.
     Logo alguns dias depois, tivemos a entrega da resenha para Língua Portuguesa I. Eu nunca tinha feito uma resenha acadêmica de um livro inteiro, então me preocupava com a linguagem exigida e as relações que teria que fazer entre os temas do livro lido e outras referências bibliográficas. O livro resenhado foi "A língua do Brasil amanhã e outros mistérios", de Mário A. Perini. Como um dos meus amigos (que simplesmente arrasava em resenhas) da outra turma tirou 10, fiquei imaginando por alguns dias qual seria o meu desempenho. Surpreendentemente, acabei tirando a mesma nota que ele!
     A quarta prova foi de Literatura Grega I. Como já contei para vocês, estávamos lendo "Odisseia", de Homero, e tanto a leitura quanto as aulas foram incríveis. Nem consigo dizer a vocês como amei poder conhecer mais profundamente a mitologia grega! Pelo que já tínhamos ouvido, essa foi a primeira prova escrita feita em sala e sem dupla; ou seja, a chance de ser tenebrosa era enorme. Como, além de ler o livro, também procurei alguns resumos para me auxiliar na memória dos eventos e dos cantos específicos, achei a prova bem clara e me diverti respondendo! Meu resultado, entretanto, foi melhor do que eu esperava: 9,3. Tecnicamente, a prova está somada errada e eu acertei 0,2 a mais, mas não quis incomodar o professor por dois meros décimos.
     Enfim, chegou a última e terrível prova: a de Linguística I. Desde que entramos no curso de Letras, todos os veteranos sempre nos avisaram que era muito comum ir mal nessa matéria (e até mesmo reprovar nela). Como de toda a nossa grade horária, Linguística I é a única matéria que apresenta dados bastante técnicos (envolve até Física!), eu nem sabia o que esperar da prova. No fim das contas, tínhamos que responder 4 de 5 questões de acordo com a nossa preferência. Eu tinha certeza, durante a prova, que sabia responder 3 questões com toda convicção e 1 das outras duas ainda era um "achismo". Escolhi essas mesmas e tive um surto saindo da faculdade, achando que tinha colocado o número errado de uma das 3 questões que já me eram consideradas como acertos. Na hora mesmo, conferi minhas anotações e me acalmei por ver o número certo. A nota da prova seria entregue no dia do meu aniversário e eu não estava preparada para estragar meu dia com uma nota ruim, então faltei a aula! Tudo estava calmo até minha amiga me dizer por WhatsApp que eu havia tirado 10 na prova! Não era mentira e foi uma das notas mais chocantes que já recebi na vida.

Sei que só estou no começo do curso e ainda tem muito chão pela frente, mas fiquei feliz (e muito surpresa) com esses primeiros resultados e quis compartilhar com vocês! E vocês? Como estão indo nas provas nesse começo de 2016? 
Beijinhos, Beatriz.

sábado, 21 de maio de 2016

Aos 18

      18 velas. 18 primaveras. 18 anos. Não sei quando comecei a esperar por tal data, mas definitivamente foi há pouquíssimo tempo. Nunca tive pressa para envelhecer nem esperei ansiosamente por um aniversário específico. Acredito que isso venha da minha criação, pois meus pais sempre consideraram, e me trataram como, muito madura. Por exemplo, nunca pensei os 15 anos como o ano do salto alto, já que eu estava muito acostumada a usá-los bem antes disso.
      Porém, de uns tempos para cá, comecei a criar a ilusão de que, no dia do meu aniversário de 18 anos, eu me sentiria uma nova Beatriz. 16 de maio veio e passou, mas obviamente em nada me senti diferente. Pela primeira vez, senti como a "vida adulta" já estava intrincada em minha rotina. Faculdade, obrigações, amizades antigas... O que eu estava esperando de tão especial?
      Reparei, desanimadamente, que 18 anos é apenas mais uma idade como tantas outras. Posso ter mais alguns direitos, mas muitos deveres vieram no pacote. Queria lhes dizer que tudo isso me faz feliz e/ou triste, mas apenas me sinto aliviada. Apesar de criar expectativas com frequência, odeio mantê-las e fico feliz de saber que me libertei de mais uma.
      A despeito do choque inicial, finalmente pude perceber que nada mudou porque eu amo tudo que tenho e faço. Podemos às vezes sentir falta de evolução em nossas vidas, mas acredito que, nesses falsos períodos estáticos, simplesmente evoluímos fora de nossas vistas. A mudança de fase de uma flor não deixa de ser uma mudança por não ser chamativa como a construção de um prédio.

Beijinhos, Beatriz.

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Um lugar para imaginar: Magic Kingdom - Parte 2

      Os dias passaram, mas não me esqueci sobre a "viagem" para o Magic Kingdom que preparei para vocês em dois posts. A primeira parte (você pode conferir aqui) foi focada nas diferentes lands do parque e em suas respectivas atrações. Hoje, trago para vocês os shows e paradas que tornam esse lugar o mais mágico do mundo em todos os momentos do dia e do ano! Cada um dos shows abaixo é praticamente uma obrigação para quem se aventura em Orlando:




*Festival of Fantasy Parade - "A parada das 15h"
      Essa parada foi lançada apenas em 2014, ou seja, ainda pode ser considerada "nova" no parque. Com carros maravilhosos e danças e figurinos ainda melhores, a parada apresenta os personagens principais da Disney: vemos desde Branca de Neve (minha favorita!) e Elsa até Peter Pan. A "Festival of Fantasy" ocorre durante todo o ano, com exceção dos dias de chuva, em que é substituída pela "Rainy Day Parade" - basicamente os personagens sentados em carros cobertos, acenando para a multidão. É a minha parada favorita substituindo, também no meu coração, a antiga "Celebrate a dream come true". Se vocês não tiverem tempo para assistir o vídeo completo, vale a pena marcá-lo para ver depois!



*Celebrate The Magic - "O castelo se transforma"
      Esse show noturno ocorre duas vezes por noite: uma antes dos famosos fogos de artifício e uma por volta da meia-noite. Sem dúvida nenhuma, o "Celebrate The Magic" sempre é um dos momentos mais inesquecíveis no Magic Kingdom. Esse show, que utiliza de projeções para mudar os formatos do castelo e apresentar as melhores cenas da Disney, muda conforme a época do ano: no verão, incluem-se cenas do Rei Leão, da Lilo & Stitch; no Halloween, os vilões tomam conta de parte do show e, no Natal&Ano Novo, somos agraciados por músicas natalinas e até o Papai Noel. Já tive a chance de assistir todas essas épocas e a minha favorita continua sendo a "tradicional" de verão, enquanto o melhor momento é o das princesas!



*Wishes - "Um pedaço do céu para guardar no coração"
      Nem tenho palavras para descrever o que sinto por esse show de fogos. Entre todos os que já vi na minha vida, esse é definitivamente o melhor. Como ocorre todos os dias (cuidado com as datas das festas de Halloween, Natal e Ano Novo, em que ele é substituído), o show encerra o dia com uma magia tão especial que até ficamos animados para o próximo dia, não importa o quão estejamos exaustos! Ocorre apenas uma vez por dia, o horário varia entre as 21h e 22h (dependendo do fechamento do parque), e nunca vi ser cancelado pela chuva. Todo mundo chora quando o assiste pela primeira vez e, mesmo já tendo o visto em torno de umas 12 vezes, choro um pouco sempre! É muito magia para nossos pobres corações mortais!


Obs: esse vídeo é de um dia especial onde todo o público do evento (era um evento privado para agentes de viagem) recebeu as orelhas do Mickey que seguem as luzes dos fogos. Em dias "normais", é comum vermos poucas dessas orelhinhas no meio da multidão.

      Esses são os shows principais do parque (e também do meu coração), mas existem outros dois momentos inesquecíveis do dia, que obviamente não cortaria daqui do post!

*Main Street Electrical Parade - "As luzes que acendem nossa noite"
      Essa parada definitivamente é a que eu menos assisti em minhas viagens. Como eu costumo ficar exausta durante o dia, na hora que a noite cai e a parada começa eu só penso em jantar e me preparar para o "Celebrate the Magic" e o "Wishes. Vocês podem perceber pelos vídeos que todas as paradas e shows costumam ter um grande público e, por isso, para assisti-las em um bom lugar (ou apenas permitido - os Cast Members são muito rigorosos com os lugares em que você pode ficar), é necessário chegar em torno de uma hora antes. Como a "Main Street Electrical Parade" ocorre perto das lojinhas da rua principal, aproveito esse momento para ver apenas meus personagens favoritos antes de voltar para as compras! A parada também ocorre duas vezes por dia: uma às 18h30 e outra perto da meia-noite. Os efeitos e a musiquinha tornam tudo tão especial e inesquecível!


*Dream Along With Mickey Show - "Quando o dia começa da melhor forma possível"
      Vou segurar as lágrimas aqui: esse show ficou por último aqui do post, porque foi desativado. Após 10 anos acontecendo de quatro a cinco vezes por dia, o "Dream Along With Mickey Show" vai ser substituído, em junho, por um novo show com as princesas mais recentes do parque. Ao invés de se focar no trio original (Branca de Neve, Cinderela e Bela Adormecida) e no Peter Pan, o próximo show, que ainda não sei quando poderei assistir, vai priorizar a Tiana (da Princesa & o Sapo), a Rapunzel (de Enrolados) e Elsa & Anna (do Frozen). Tenho certeza que as crianças vão amar, mas eu sempre vou sentir falta do antigo! 


Beijinhos, Beatriz.

domingo, 8 de maio de 2016

Sentindo a leitura... - Odisseia

      O livro de hoje demorou para aparecer aqui no "Sentindo a leitura...", pois estava esperando a prova sobre ele e não queria misturar minhas opiniões com os fatos da história, evitando momentos de desespero durante a avaliação. Então, vamos ao que interessa: a Odisseia, de Homero.
     
      Eu já sou fã de mitologia grega há uns cinco anos, desde que me apaixonei pela saga do Percy Jackson. Nunca tive tempo o suficiente para me aprofundar em outras leituras sobre as diferentes divindades gregas, então ficava limitada às histórias (adaptadas, é claro) do Rick Riordan ou ao que eu vi aqui e ali no mundo da internet. Felizmente, o curso de Letras, e sua linda matéria de Literatura Grega, me permitiu mudar essa realidade e logo no primeiro semestre fomos presenteados com a leitura de Odisseia, do Homero.
       Por ser datada de 800 a.C., a obra apresenta uma linguagem mais rebuscada, mesmo na tradução que li (do Frederico Lourenço, da Companhia de Letras), considerada mais branda do que a famosa de Odorico Mendes. Como tenho um apreço especial pela cultura, apesar de problemas com a interpretação de certos trechos, não pude resistir à história e posso dizer que amei o livro. Nossa leitura foi programada para que lêssemos 4 cantos por semana (são 24, no total) e eu consegui adiantar o planejado diversas vezes durante os quase dois meses em que passamos lendo.
       A Odisseia conta as desventuras por quais Odisseu (ou Ulisses, como preferirem) passa após ter lutado na Guerra de Troia (contada previamente em Ilíada). O herói já está há vinte anos longe de sua casa em Ítaca, mas, mesmo assim, ele não desiste de voltar para sua mulher, Penélope, e seu filho, Telêmaco. Enquanto Odisseu tenta voltar para casa, com a ajuda da incrível (maravilhosa-tudo-de-bom) deusa Atena, Telêmaco, também impulsionado pela divindade, começa uma busca pelo seu pai e também uma forma de acabar com os abusos dos pretendentes que querem desposar Penélope.
       Existem alguns capítulos que são definitivamente melhores do que outros, por trazerem maior ação ou maior emoção. Meus favoritos foram o que Odisseu narrou os dez anos após a Guerra de Troia (canto XIX ao XII) e o do Massacre dos Pretendes (XXIII, se não me engano). Entretanto, mesmo os que foram um pouco mais arrastados tiveram a excelente característica de apresentarem vários hábitos da Grécia Antiga que eu nem mesmo imaginava: como funcionavam os jantares, os banhos...
       Não consigo me arrepender nem um pouco da leitura e espero que goste tanto de Ilíada quanto de Odisseia. Não sei se irei fazer um "Sentindo a leitura..." de Ilíada, mas, de qualquer maneira, comentarei no "Meu Aeroporto Literário" de Junho, quando já terei terminado o livro para a próxima prova!

Beijinhos, Beatriz.

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Meu Aeroporto Literário - Abril


       Tenho que pedir desculpas a todos vocês pela demora em postar aqui no blog. É que eu estava lotada de provas e trabalhos da faculdade e realmente não tive tempo para vir aqui antes de terminar tudo. Como agora vão começar umas miniférias para o meu curso, vou aproveitar para me dedicar muito ao blog e às minhas leituras.

1- Balcão de Check-in (Livros que comprei)
       *Ilíada - Homero
       *Robinson Crusoé - Daniel Defoe
       *As Feiticeiras de East End - Melissa de la Cruz

       "Ilíada" e "Robinson Crusóe" foram comprados para as minhas aulas de Literatura Grega e Teoria da Literatura, respectivamente. Já "As Feiticeiras de East End" era, na verdade, um presente para o aniversário de uma amiga minha em Dezembro, mas, como eu não consegui entregar até hoje, acabei ficando com o presente.

2- Portão de Desembarque (Livros lidos)
      *Um pequeno herói - Fiódor Dostoiévski
      *Por que (não) ensinar gramática na escola - Sírio Possenti
      *Odisseia - Homero
      *A língua do Brasil amanhã e outros mistérios - Mário A. Perini

      Com exceção de "Um pequeno herói", todas as minhas outras leituras foram causadas pelas aulas de Letras, então, não foi um mês muito produtivo em relação a leituras pessoais. Entretanto, apesar de serem "obrigatórios", todos os livros foram muito interessantes e um "Sentindo a leitura... - Odisseia" já está no forninho aqui do blog!

3- Voo de Cruzeiro (Livros que estou lendo)
      *Convergente - Veronica Roth
      *Manual de Linguística - Mário Eduardo Martelotta
      *Norma Culta Brasileira: Desatando alguns nós - Carlos Alberto Faraco
      *Língua Portuguesa I: Fonética e Fonologia - Adelaide Silva
      *Robinson Crusoé - Daniel Defoe

      Estou quase terminando "Convergente" e já estou na metade de "Norma Culta Brasileira". Entretanto, "Manual de Linguística" e "Língua Portuguesa I" não estou avançando muito, porque são os materiais usados em algumas aulas e, portanto, estou seguindo o ritmo das professoras. Eu já comecei "Robinson Crusóe", mas me desanimei um pouco com o andamento da história, então, pretendo recomeçá-lo para me concentrar mais.

4- Fila de Embarque (Livros que continuam na estante)
      *Ilíada - Homero
      *As Feiticeiras de East End - Melissa de la Cruz
      *Os Heróis do Olimpo: A Marca de Atena - Rick Riordan
      *A Letra Escarlate - Nathaniel Hawthorne      
      *Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Anjos Caídos - Cassandra Clare             
      *Morte Súbita - J.K. Rowling             
      *Gabriela, Cravo e Canela - Jorge Amado             
      *Fogo Morto - José Lins do Rego             
      *Claro Enigma - Carlos Drummond de Andrade

      Meu plano inicial para Maio é aproveitar as "férias" para ler o máximo possível. Pretendo terminar "Convergente" e "Norma Culta Brasileira" logo na primeira semana do mês e depois ler, pelo menos, "A Marca de Atena", "As Feiticeiras de East End" e "Robinson Crusóe". Desejem-me sorte!


E como foram suas leituras em Abril?
Beijinhos, Beatriz.